Portal de Moura

Água Castello

Cooperativa Agricola de Moura e Barrancos

Tipi Lifestyle

Agricultura
08-Jan-2008


Sistema Global de Rega


O Sistema Global de Rega de Alqueva irá beneficiar uma área com cerca de 115 mil hectares. Será constituído por 15 barragens de regularização, 314 km de canais a céu aberto, 9 estações elevatórias principais, 6 centrais micro-hídricas, 31 depósitos de regularização e 56 estações elevatórias secundárias, 2 240 km de condutas enterradas, cerca de 10 000 hidrantes, e cerca de 1 000 km de estradas e redes de drenagem.

  agricultura1.jpg

  agricultura2.jpg


O Sistema Global de Rega de Alqueva divide-se em três subsistemas, de acordo com as diferentes origens de água:

-  o subsistema de Alqueva, com origem de água na albufeira de Alqueva: beneficia as áreas a Oeste de Beja e do Centro Alentejo;
-  o subsistema de Pedrógão, com origem de água na albufeira de Pedrógão: beneficia as áreas a Este de Beja até ao rio Guadiana;
-  o subsistema do Ardila, com origem de água, igualmente, na albufeira de Pedrógão: beneficia as áreas da margem esquerda do Guadiana nos concelhos de Moura e Serpa.
Sistema de Adução Alqueva

Esta infra-estrutura é responsável pela adução da água de Alqueva às albufeiras dos Álamos e daí a todo o subsistema de Alqueva, encontrando-se concluída e operacional.

A Estação Elevatória dos Álamos tem uma altura de 40 m e uma capacidade de bombagem de 6x6,88 m3/s. Esta infra-estrutura permite elevar a água a uma altura de 90 m, através de uma conduta forçada com 850 m de comprimento e 3,2 m de diâmetro, para as albufeiras dos álamos, as quais garantem a distribuição de água a todo o sub-sistema de Alqueva.

De acordo com a programação de curto/médio prazo da EDIA, irão iniciar obra os seguintes perímetros de rega, afectos ao Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva:

Perímetro da Rega Área Dominada (ha)  Área Beneficiada (ha) Início da Empreitada
Monte Novo 8 100 7 714 3º Trimestre - 2005
Pisão 2 714 2 588 2º Trimestre - 2006
Amoreira 2 675 2 540 4º Trimestre - 2006
Brinches Norte 1 015 965 4º Trimestre - 2006

A Rede Primária do Projecto de Alqueva constitui a "espinha dorsal" de transporte de água, a partir das albufeiras de Alqueva e Pedrógão, para toda a área a beneficiar pelas infra-estruturas de rega.

É este conjunto de canais, de grandes dimensões, que irão garantir o abastecimento regular de água a um conjunto de outras barragens, algumas já existentes. A partir delas, por sua vez, assegura-se o fornecimento de água para a agricultura, abastecimento público e industrial, tanto para as necessidades actuais como para as projectadas pelo Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva.

  agricultura3.jpg

  agricultura4.jpg

Subsistema de Alqueva

Desenvolvendo-se a partir da Estação Elevatória dos Álamos, já construída, a Rede Primária de Alqueva tem o seu início físico nas Barragens dos Álamos I, II e III, as quais ligam à Barragem do Loureiro, através de um canal com perto de 11 km (10 697 m) de comprimento.

A partir da Barragem do Loureiro, um outro canal, com 24 km de comprimento, liga à Barragem do Monte Novo, origem de água para futuro abastecimento a 6 concelhos do distrito de Évora, incluindo a sua capital.

Pelo caminho é criada a infra-estrutura de rega do Monte Novo, uma área com 7 714 ha.
Do Loureiro para Sul o Túnel Loureiro/Alvito, com 11 km de extensão, garante o abastecimento à Barragem de Alvito, actual origem de água para cinco concelhos alentejanos e daí para Odivelas. Odivelas constitui um reservatório a partir do qual se aduzem os caudais para as infra-estruturas de rega de Odivelas, reforçando o abastecimento ao antigo perímetro, com cerca de 6 mil hectares, e à infra-estrutura 12, com 5 767 hectares, a primeira construída no âmbito de Alqueva.

Este conjunto de infra-estruturas tem como principais metas a adução às albufeiras de Alvito e Monte Novo, no ano de 2007, assegurando, deste modo, o pleno funcionamento das infra-estruturas de rega existentes e as que serão construídas, bem como o abastecimento público. Seguem-se as ligações Alvito-Pisão e Pisão-Roxo com conclusão prevista para 2009. Estas infra-estruturas irão garantir o abastecimento público a cerca de 166 mil habitantes dos distritos de Évora e Beja.

Área abrangida pelo sub-sistema de Alqueva: 62 595 ha
Número de prédios abrangidos: 8 619

Subsistema do Pedrogão

O subsistema do Pedrógão tem origem na Barragem de Pedrógão e é constituído por um sistema integrado de 3 circuitos hidráulicos, definidos com base nos patamares principais de elevação, nomeadamente:

- o circuito hidráulico do Pedrógão, que tem como objectivo proceder ao reforço das disponibilidades hídricas da albufeira de S. Pedro e beneficiar directamente cerca de 4 140 ha;
- o circuito hidráulico de S. Pedro, que beneficia cerca de 12 910 ha, localizados a Este da cidade de Beja. Tem como origem principal a estação elevatória a localizar a jusante da barragem de S. Pedro.
- o circuito hidráulico de S. Matias, que beneficia cerca de 4 810 ha, localizados na zona oeste do subsistema do Pedrógão entre as povoações de S. Matias e Beja. Tem como origem de água principal a barragem de S. Pedro.

Área abrangida pelo subsistema do Pedrógão: 21 860 ha.
Número de prédios abrangidos: 2751

  agricultura5.jpg

  agricultura6.jpg

Subsistema do Ardila

O subsistema de rega do Ardila situa-se na margem esquerda do Guadiana e é constituído por um conjunto diversificado de barragens, reservatórios, estações elevatórias e adutores que permitirão a rega de cerca de 30 125 ha, situados na margem esquerda do Guadiana, entre as povoações de Moura, Brinches, Pias e Serpa.

Para além da albufeira de Pedrógão, o subsistema do Ardila apresenta como origens de água as albufeiras de Brenhas, Amoreira, Caliços, Pias, Brinches, Serpa, Enxoé e Lage, procurando conciliar o aproveitamento dos escoamentos afluentes a cada uma destas albufeiras, com a utilização dos recursos hídricos armazenados na albufeira de Perdigão.

Este subsistema é composto por quatro circuitos hidráulicos e um sistema de rega independente, definidos com base nos principais patamares de elevação e na área geográfica dominante:

-  o circuito hidráulico do Pedrógão Margem Esquerda: com início na Barragem do Pedrógão, é constituído uma conduta de 1,4 km e um canal de 8,2 km, com o objectivo de proceder ao reforço das albufeiras de Brinches e Amoreira. A partir destas albufeiras, beneficiam-se directamente cerca de 5 300 ha;
-  o circuito hidráulico Brinches-Enxoé: com início na Barragem de Brinches, é constituído uma conduta com 21 km, com o objectivo de proceder ao reforço das Albufeiras de Serpa, Lage e Enxoé. Este circuito será responsável pela rega de 8 040 ha;
-  o circuito hidráulico de Serpa: com início na Barragem de Serpa, é constituído por uma conduta com aproximadamente 8 km, com o objectivo de regar 3 630 ha;
-  o circuito hidráulido da Amoreira: com início na Barragem da Amoreira, é constituído por 22 km de conduta, com o objectivo de proceder ao reforço das albufeiras dos Caliços e Pias. Este circuito irá permitir a rega de 12 370 ha;
-  o sistema de Brenhas: sistema independente dos restantes circuitos hidráulicos, é composto pela albufeira de Brenhas a partir da qual são pressurizados os 785 ha que domina.

In "site www.edia.pt"

 
             
Break - Momentos Fantásticos
Baixo_Povoa_e_Helena
ABCPP
Alentoner, Consumíveis Informáticos
Eperas
Iskandar
Alimentos Guadiana
Manuel Coutinho - Oficina de Rep. Mecânicas
DN Automóveis
D&F Cerejo, Lda
JC PNEUS - João Costa Unipessoal, Lda
Hotel Passagem do Sol - Moura
Herdade dos Coteis
AMPEAI
Luziana Noivas
Câmara Municipal de Moura
Inside Lisbon Guest House
SPORTS4U, Animação Turistico - Desportiva, Lda
Pastelinhos Safara
Coloque a sua publicidade aqui
Madeicor - Francisco Beirão